Home Informações do Governo Saúde atualiza o balanço de ações contra a pandemia

Saúde atualiza o balanço de ações contra a pandemia

por Ministério da Saúde

BALANÇO

Pasta vem apoiando os estados e municípios na compra e entrega de equipamentos, habilitação de leitos de UTI e enviando recursos para o enfrentamento da Covid-19

Desde o início da pandemia o Ministério da Saúde já destinou aos 26 estados e o Distrito Federal R$ 85,5 bilhões, sendo que desse total foram R$ 59,7 bilhões para serviços de rotina do SUS, e outros R$ 25,8 bilhões exclusivamente para ações no combate à Covid-19. As medidas fortalecem o SUS e leva atendimento para a população em todo o país. Os recursos são repassados a partir da publicação das portarias no Diário Oficial da União.

LEITOS

A pasta já habilitou 13.563 leitos de UTI solicitados pelos estados e municípios para o tratamento exclusivo de paciente da Covid-19 – que representa quase 100% da demanda. O valor investido pelo Governo Federal é de R$ 1,9 bilhão, pago em parcela única, para que estados e municípios façam o custeio dessas unidades pelos próximos 90 dias – ou enquanto houver necessidade em decorrência da pandemia. Além disso, foram prorrogadas as habilitações de 5.998 leitos de UTI por mais de 30 dias, com o custeio de R$ 286,9 milhões, atendendo às demandas dos estados e municípios.

Além dos leitos de UTI, o Ministério da Saúde habilitou 971 leitos de suporte ventilatório exclusivos para Covid-19, com investimento de R$ 13,9 milhões. Esses leitos atendem pacientes com Covid-19 que não necessitam de uma Unidade de Terapia Intensiva e também são solicitados pelos estados e municípios. Até o momento, sete estados e o Distrito Federal solicitaram leitos de suporte ventilatório: Pernambuco, Bahia, Amazonas, Maranhão, Piauí, Sergipe, São Paulo.

VENTILADORES PULMONARES

O Brasil conta agora com o reforço de 11.106 ventiladores pulmonares, sendo 5.751 de UTI e 5.355 de transporte entregues pelo Ministério da Saúde para auxílio no atendimento aos pacientes com Covid-19.

Os equipamentos foram entregues em todos os estados e no Distrito Federal. A distribuição para os municípios e unidades de saúde é de responsabilidade de cada estado, conforme planejamento local. As entregas levam em conta a capacidade instalada da rede de assistência em saúde pública – principalmente nos locais onde a transmissão está se dando em maior velocidade.

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

O Ministério da Saúde distribuiu 276,6 milhões de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para garantir a proteção dos profissionais de saúde que atuam na linha de frente do enfrentamento à Covid-19 em todo o país. Entre os itens estão máscaras, aventais, óculos, protetores faciais, toucas, sapatilhas, luvas e álcool. As entregas representam mais um, entre diversos esforços do Governo do Brasil, para auxiliar e reforçar as redes de saúde dos estados e municípios no combate a pandemia da Covid-19.

Ao todo, o Ministério da Saúde já entregou aos estados 564,3 mil litros de álcool; 3,1 milhões de aventais; 36,9 milhões de luvas; 20,3 milhões de máscaras N95; 196,03 milhões de máscaras cirúrgicas; 2,3 milhões de óculos e protetores faciais, e 17,2 milhões de toucas e sapatilhas. Os materiais foram entregues para as secretarias estaduais de Saúde, responsáveis por definir quais os serviços vão recebê-los, a partir de um planejamento local.

VACINA COVID-19

O Ministério da Saúde realiza o monitoramento periódico de informações sobre o desenvolvimento global de vacinas contra o SARS-CoV-2. Atualmente no monitoramento global há um total de 243 vacinas, sendo 200 em fase pré-clínicas e 43 vacinas em fase clínica de testagem com pacientes.

No Brasil, são 38.308 pessoas envolvidas em protocolos de vacinas. As candidatas à imunizante em fases mais avançadas no país envolvendo um maior número de pessoas são: a vacina ChAdOx1 n-CoV-19, da Universidade de Oxford/AstraZeneca que atualmente está em fase III de estudo e envolve 10 mil pessoas. A CoronaVac, da Sinovac/Instituto Butantan também em fase três, envolvendo 8.860 brasileiros. A BNT162, da Pfizer/ BioNtech/Wyeth que atualmente está em fases I, II e III simultaneamente e envolve 5 mil brasileiros. E a Ad26.COV2S da Janssen que está em fase III e envolve 7.560 brasileiros.

SAÚDE INDÍGENA

O Ministério da Saúde começou, nesta semana, uma operação conjunta com o Ministério da Defesa no Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Maranhão. Ao todo, serão 21 dias de ação, divididos em três fases, que envolvem as equipes dos Ministério da Saúde e das Forças Armadas – Exército, Marinha e Aeronáutica – além dos profissionais do DSEI Maranhão. Foram identificadas, previamente, quais as necessidades de cada aldeia, estabelecendo um cronograma e prioridades de ações.

As equipes estão levando cerca de 60 mil medicamentos e 32 mil equipamentos e testes para a COVID-19. O objetivo é intensificar a assistência nas aldeias com a oferta de atendimento médico especializado, testagem para a Covid-19 e envio de medicamentos e insumos para abastecer os Polo Base – unidades de referência para as Equipes Multidisciplinares de Saúde Indígena (EMSI) que atuam nas aldeias. Essa é mais uma ação que está inserida em uma série de missões em territórios indígenas no combate ao coronavírus.

INCORPORAÇÃO DE MEDICAMENTO PARA AME

Ministério da Saúde discute a incorporação do medicamento Spiranza® para os tipos II e III da doença Atrofia Muscular Espinhal – que já é usado para o tratamento de pacientes com AME tipo I. O Ministério busca qualificar a proposta da empresa para abertura do processo de avaliação do medicamento pela Comissão Nacional de |Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec).

Por Luíza Barufi
Ministério da Saúde
(61) 3315-3580

Posts Relacionados

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia Mais