Home Informações do Governo Brasil registra maior número de recuperados entre países com registros de Covid-19

Brasil registra maior número de recuperados entre países com registros de Covid-19

por Ministério da Saúde

CORONAVÍRUS

Novo Boletim Epidemiológico também apresenta tendência de redução na média de óbitos causados pela doença no país

O Brasil já registra 82,3% de casos de pessoas recuperadas da Covid-19 no país, com mais de 3,4 milhões de vidas salvas. Os dados foram apresentados pelo Ministério da Saúde durante a atualização do cenário epidemiológico da doença no país, nesta quarta-feira (9/9), em Brasília. Os casos de hospitalizações e de pacientes em acompanhamento também apresentaram estabilidade na curva, com forte tendência de redução. Além disso, o novo boletim trouxe uma queda de 8% na curva de óbitos, passando de 6.212 mortes registradas entre 23 e 29 de agosto para 5.741 no período de 30 de agosto a 5 de setembro.

A estabilização e queda nos dados epidemiológicos, segundo o diretor do Departamento de Análises em Saúde e Vigilância de Doenças Não Transmissíveis do Ministério da Saúde, Eduardo Macário, é resultado da capacidade de resposta rápida do sistema de saúde brasileiro, que tem recebido todo o apoio do Governo Federal durante a pandemia. “A gente tem identificado, a partir da Semana Epidemiológica 30, uma redução no número de novos registros de Covid-19. Nas últimas três semanas, isso tem se mantido estável, mostrando também que há, sim, um aumento no número de pessoas sendo testadas. E, principalmente, com a ampliação do diagnóstico, além do laboratorial, para o diagnóstico clínico, que tem refletido em mais pessoas sendo atendidas e tratadas”, destacou Macário.

Durante a apresentação, ainda foi apresentado o quantitativo de testes distribuídos para diagnóstico da Covid-19 no Brasil. Até 5 de setembro, o Ministério da Saúde enviou mais de 14,5 milhões de testes para diagnósticos da doença, sendo 6,5 milhões de RT-PCR (biologia molecular) e 8 milhões de testes rápidos (sorologia). A pasta distribui os testes conforme a capacidade de armazenamento dos estados e disponibiliza centrais de testagem, que podem ser utilizadas pelos gestores locais quando a capacidade de produção dos laboratórios estaduais chega ao limite.

Até o dia 5 de setembro, foram realizados mais de 5,6 milhões de exames de RT-PCR para Covid-19, sendo 3,3 milhões na rede pública e 2,3 milhões nos laboratórios privados. Sobre os testes sorológicos, segundo dados do sistema e-SUS Notifica, foram realizados no país mais de 7,5 milhões de exames nas redes pública e privada.

COMPROMISSO PARA UMA VACINA SEGURA E EFICAZ

Ainda durante a coletiva de imprensa, o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco, falou sobre a suspensão dos testes da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford. Ele afirmou que a saúde da população brasileira é a prioridade do governo federal e da pasta. “Não buscamos apenas uma vacina contra a Covid-19, buscamos e estamos investindo em uma vacina segura e eficaz, em qualidade e quantidade necessárias para imunizar todos os brasileiros”.

O secretário destacou que o Brasil, por ser um país de dimensões continentais e com mais de 210 milhões de habitantes, precisará de uma logística robusta, priorizando os grupos de risco – como idosos, profissionais de saúde que estão na linha de frente do combate à pandemia, profissionais de segurança, educação, entre outros, de acordo com estudos em andamento. “Ainda não sabemos o quanto o cronograma previsto será impactado em razão da suspensão dos testes. É preciso aguardar e avaliar”, explicou.

SAÚDE MENTAL

O Ministério da Saúde também divulgou, nesta quarta-feira (9/9), uma pesquisa com dados sobre a influência da Covid-19 na saúde mental dos profissionais que fazem parte da ação estratégica “O Brasil Conta Comigo”, iniciativa que conta com mais de um milhão de profissionais cadastrados para atuar no combate à doença em todo o país. Os questionários foram respondidos por mais de 185 mil profissionais voluntários, entre maio e julho de 2020, caracterizando o maior banco de dados do mundo em relação à saúde mental de profissionais durante a pandemia do coronavírus. 

A pesquisa foi realizada pela Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde (SGTES), em parceria com a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e com a Universidade de Minas Gerais (UFMG). Segundo o levantamento, 7% relataram ter diagnósticos psiquiátricos prévios, sendo os mais frequentes a depressão e o transtorno de ansiedade generalizada. Já 58,4% dos participantes estão com a presença de sintomas psicológicos e psiquiátricos abaixo da média na população brasileira. E, 12% apresentaram alta pontuação em sintomas autorrelatados, de acordo com os parâmetros populacionais brasileiros.

Ministério da Saúde
61 3315.3580 / 2745

Posts Relacionados

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia Mais