Home Informações do Governo Pará recebeu R$ 164,5 milhões para enfrentamento do coronavírus

Pará recebeu R$ 164,5 milhões para enfrentamento do coronavírus

por Ministério da Saúde

APOIO FEDERAL

Ao todo, o estado recebeu do Ministério da Saúde, neste ano, R$ 1,3 bilhão, que inclui recursos para a rotina dos serviços de saúde e valores extras para fortalecer o SUS diante da pandemia

Foto: Erasmo Salomão / ASCOM MS

O estado do Pará já recebeu do Governo do Brasil o aporte de R$ 164,5 milhões voltados exclusivamente para o combate à pandemia por COVID-19. O objetivo é auxiliar os gestores locais do Sistema Único de Saúde (SUS), ou seja, estado e municípios, na melhoria e ampliação das ações de combate à doença, além da assistência necessária à saúde da população. Entre janeiro e maio deste ano, o Pará também recebeu R$ 1,1 bilhão de recursos de rotina, ou seja, voltados à manutenção dos serviços de saúde.

Além dos recursos diretamente repassados para o estado, o Ministério da Saúde distribuiu medicamentos, testes de diagnóstico, equipamentos de proteção individual para os profissionais de saúde, além de outros materiais e insumos. Até o momento, o estado registra 28.600 casos e 2.469 óbitos pela doença.

Nesta quarta-feira (27), o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, cumpriu agenda na capital Belém ao lado do governador do estado do Pará, Helder Barbalho, e do Secretário de Saúde do Pará, Alberto Beltrame, e visitou as instalações de algumas unidades de saúde. O objetivo foi conhecer a realidade dos hospitais, as necessidades da população e as demandas do estado e interior, além de alinhar ações estratégicas conjuntas para ampliar o combate ao coronavírus.

“Temos que continuar melhorando a capacidade de atendimento da capital para que tenhamos possibilidade de fazer frente à demanda que ainda vai acontecer no interior”, explicou o ministro interino da Saúde.

Um dos locais visitados foi o Hospital de Campanha de Belém, que tem 420 leitos de baixa e média complexidade e está recebendo pacientes estáveis do coronavírus. O hospital atende pessoas da região metropolitana de Belém e demandas das regiões nordeste e Marajó Oriental. Os atendimentos e leitos são destinados aos pacientes com sintomas leves ou moderados, que não necessitam de internação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Ao longo do dia, o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, também visitou a Policlínica Metropolitana, unidade que começou a funcionar em janeiro deste ano e que tem capacidade de fazer até 1.500 atendimentos diários. O local oferece atendimento clínico e cirúrgico, além de exames e outros procedimentos direcionados aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). O local está equipado para fazer diagnóstico, por exames de imagem, dos pacientes com a doença. Se for caso leve, o paciente sai com o medicamento em mãos e, em casos graves, é encaminhado para um hospital especializado.

“Me impressionou o trabalho desenvolvido pela Policlínica com as ações de triagem. É uma medida que estamos discutindo no Ministério da Saúde e que já vem sendo feita pelo governo do Estado. É algo muito resolutivo e estou levando como exemplo para a gente poder implantar também onde tem maior incidência no país”, destacou Pazuello.

O Hospital Regional Abelardo Santos também fez parte dos compromissos do dia. O local começou a funcionar em setembro de 2019 com 269 leitos, sendo 150 de internação, 60 de UTI e 30 de Unidade de Cuidados Intermediários. No dia 30 de abril deste ano mudou o perfil de atendimento e tornou-se exclusivo para casos do coronavírus, desde o atendimento a pacientes leves à hospitalização, se necessária, aos casos moderados e graves.

BALANÇO DE AÇÕES NO PARÁ

Além dos recursos enviados ao estado, o Pará também recebeu a habilitação de 336 leitos de UTI voltados exclusivamente para os casos graves e gravíssimos do coronavírus. Desse total, 14 são de UTI pediátrica. A medida contemplou oito municípios, além da capital Belém, que teve 182 leitos habilitados. Para essas habilitações, o Ministério da Saúde já enviou, em parcela única, o valor de R$ 48,4 milhões para estado e municípios, referentes ao custeio dos leitos pelo período de 90 dias ou enquanto durar a pandemia.

Na parte de medicamentos, o Ministério da Saúde enviou 98.680 caixas de Oseltamevir (30mg, 45mg e 75mg) e 215 mil caixas de cloroquina. Ambos os medicamentos podem ser usados no tratamento do coronavírus, associados ou não a outras terapêuticas ou procedimentos indicados pelos médicos, conforme cada caso.

O estado do Pará também recebeu, até o momento, 2.957.157 Equipamentos de Proteção Individual (EPIS) usados para a proteção dos profissionais de saúde, como máscaras, luvas e aventais, além de 15.670 litros de álcool em gel. Além disso, o Ministério da Saúde enviou ao estado 170 respiradores, sendo que 40 foram entregues no último fim de semana (23 e 24/05).

O estado do Pará recebeu do Governo Federal 172.940 de testes rápidos e 165.676 testes de RT-PCR, além de 2.687.700 doses de vacinas da gripe para a Campanha Nacional Contra a Gripe, que segue até o próximo dia 5 de junho. A vacina não tem eficácia contra o coronavírus, porém, neste momento, auxilia os profissionais de saúde na identificação dos casos de COVID-19, excluindo da investigação os casos de gripe, tendo em vista que os sintomas podem ser semelhantes, além de reduzir a procura por serviços de saúde.

Saiba mais sobre coronavírus acessando nossa página especial

Por Gustavo Frasão, da Agência Saúde
Atendimento à imprensa
(61) 3315-2745 / 2351

Posts Relacionados

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia Mais