Home Informações do Governo Ministério da Saúde lança nova campanha de doação de leite

Ministério da Saúde lança nova campanha de doação de leite

por Ministério da Saúde

SOLIDARIEDADE

O Brasil registrou redução de 5% no número de doadoras nos quatro primeiros meses do ano em relação a 2019. Campanha visa estimular a doação de leite, mesmo durante a pandemia da COVID-19

Ministério da Saúde lança nova campanha de doação de leite

O Ministério da Saúde lançou, nesta terça-feira (19), data em que comemora-se o Dia Mundial de Doação de Leite Humano, campanha para sensibilizar e mobilizar as doações de leite materno, mesmo durante a pandemia da COVID-19. O ministério alerta que com os cuidados necessários, tanto da doadora quanto dos Bancos de Leite, é possível manter a rotina de doação. Com o slogan “Doe leite materno. Nessa corrente pela vida, cada gota faz a diferença”, a campanha tem o objetivo de estimular doações durante todo o ano. De janeiro a abril deste ano, houve redução de 5% no número de doadoras em relação ao mesmo período de 2019.

Clique para ver a apresentação em power point com informações e vídeo da campanha

Neste ano, diante do momento de emergência pública que o país enfrenta, até o momento, por conta do coronavírus, a orientação do Ministério da Saúde é que mulheres saudáveis continuem doando leite, mesmo que o pote não esteja cheio. Cada pote de leite humano pode ajudar até 10 recém-nascidos. É importante tomar alguns cuidados, como: somente doar se estiver saudável, verificar nos postos de coleta e bancos de leite humano a necessidade de agendamento para evitar aglomerações e seguir as orientações para coleta segura. Caso a mulher tenha sintomas de gripe ou morar com alguém que apresente esses sintomas, deverá suspender a doação nesse período.

A secretária substituta de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde, Daniela Carvalho, informa que a pasta está preocupada com a pandemia e o seu impacto na vida dos bebês que precisam dessas doações. “Cada gota de leite materno representa uma vida, um bebê que está na UTI Neonatal precisando de ajuda. O Brasil precisa da solidariedade de todas as mães lactantes e, principalmente, dos profissionais de saúde, que têm papel importante de informar às mulheres a melhor forma e os benefícios de fazer a doação deste leite”, disse Daniela Carvalho.

O Brasil possui a maior e mais complexa rede do mundo, sendo referência internacional por utilizar estratégias que aliam baixo custo e alta tecnologia. A Rede Global de Bancos de Leite Humano (RBLH) é uma iniciativa do Ministério da Saúde, por meio do Instituto Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz). São 224 Bancos de Leite Humano e, ainda, 217 postos de coleta, além da coleta domiciliar em alguns estados. As possíveis doadoras podem obter mais informações pelo site saude.gov.br/doacaodeleite ou pelo telefone 136.

Assista ao filme da campanha de doação de leite 2020

[embedded content]

CAMPANHA – DOAÇÃO DE LEITE

O lançamento da campanha nacional acontece no Dia Mundial de Doação de Leite Humano (19/05). A proposta da campanha é contar uma “história real por videoconferência” de uma família que teve sua vida impactada positivamente graças às doações de leite materno. A campanha será veiculada durante todo o mês de maio pela internet, TV, rádio, revistas, jornais, redes sociais, mídia exterior e mobiliário urbano.

“Foi uma fase angustiante e apreensiva. Mas eu sabia que a minha filha estava bem cuidada e alimentada graças à ajuda de outras mães que doaram seu leite para o Banco de Leite Humano”, afirma Cláudia Sampaio, mãe da Valentina, protagonista da campanha. É com depoimentos como este que o Ministério da Saúde busca multiplicar e incentivar a doação de leite materno.

POR QUE DOAR?

Bebês prematuros ou de baixo peso (menos de 2,5 kg) precisam do leite materno para se recuperarem mais rápido e crescerem mais fortes e saudáveis. Durante todo o ano de 2019, apenas 222 mil litros de leite humano foram coletados. Deste total, foram distribuídos 165 mil litros, beneficiando 214 mil recém-nascidos, a partir da doação de 188 mil mulheres. No entanto, no Brasil, por ano, cerca de 330 mil crianças nascem prematuras e precisam da doação de leite, já que permanecem sendo assistidas nos hospitais e maternidades. Os bebês prematuros representam, em média, 11% do total de crianças que nascem anualmente, em torno de 3 milhões.

RECONHECIMENTO

A experiência brasileira dos bancos de leite humano é reconhecida mundialmente. Neste ano, a Organização Mundial da Saúde (OMS) conferiu o Prêmio Dr. Lee Jong-wook de Saúde Pública ao pesquisador brasileiro João Aprígio de Almeida pelo trabalho à frente da Rede Brasileira de Banco de Leite Humano. Trata-se de um dos mais importantes prêmios da área da saúde. 

A rede brasileira é responsável por coletar e distribuir leite materno, com controle rigoroso, a recém-nascidos prematuros e de baixo peso. O leite materno tem tudo o que o bebê precisa até os seis meses de vida, protegendo-o contra doenças como diarreia, infecções respiratórias e alergias. Assim, é uma das mais importantes e efetivas estratégias para redução de mortes de bebês.

Saiba mais sobre doação de leite acessando nossa página especial

Por Tinna Oliveira, da Agência Saúde
Atendimento à imprensa
(61) 3315-3713 / 3580 / 2351

Posts Relacionados

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia Mais