Home Informações do Governo Ministério da Saúde entrega mais 56 respiradores no Rio de Janeiro

Ministério da Saúde entrega mais 56 respiradores no Rio de Janeiro

por Ministério da Saúde

Ao todo, o Governo do Brasil já distribuiu ao estado 206 respiradores para auxiliar no enfrentamento da pandemia

A rede pública de saúde do estado do Rio de Janeiro ganhou o reforço de mais 56 respiradores pulmonares para o combate à COVID-19. Desse total, 20 serão entregues à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), 16 à Secretaria de Saúde Municipal do Rio de Janeiro e 20 ao Hospital Federal de Bonsucesso, administrado pelo Ministério da Saúde. Os equipamentos foram entregues nesta segunda-feira (18), na capital fluminense. A Secretaria de Saúde Municipal é responsável por definir quais serão as unidades de saúde que receberão os respiradores pulmonares, conforme planejamento local.

A compra e distribuição dos respiradores é parte do apoio estratégico do Governo do Brasil no atendimento aos estados. Ao todo, o estado do Rio de Janeiro recebeu 206 respiradores comprados e enviados pelo Ministério da Saúde. As entregas levam em conta a capacidade instalada da rede de assistência em saúde pública, principalmente nos locais onde a transmissão está se dando em maior velocidade. O Ministério da Saúde já entregou 861 respiradores para 14 estados.

A aquisição destes equipamentos é de responsabilidade dos estados e municípios. Mas, diante do cenário de emergência em saúde pública por conta da pandemia do coronavírus, o Ministério da Saúde utilizou o seu poder de compra para fazer as aquisições em apoio irrestrito aos gestores locais do Sistema Único de Saúde (SUS). “Prosseguimos com o processo de aquisição, alinhados com a Anvisa e com a indústria nacional. Também estamos verificando produtos externos para que possamos importar e reforçar a estrutura já existente a cargo dos estados e municípios”, destacou o secretário-executivo adjunto, Élcio Ramos.

O Ministério da Saúde assinou quatro contratos com empresas brasileiras para a produção de 15.300 respiradores, sendo: 6.500 com a Magnamed, no valor de R$ 322,5 milhões; 4.300 com a Intermed, no valor de R$ 258 milhões; 3.300 com a KTK, no valor de R$ 78 milhões; e 1.202 com a empresa Leistung, no valor de R$ 72 milhões, para fornecimento de equipamentos no período de três meses (90 dias). O esforço brasileiro na aquisição destes itens envolve mais de 15 instituições entre fabricantes processadores, instituições financeiras e empresas de alta tecnologia, entre outras. A distribuição dos equipamentos tem ocorrido conforme a capacidade de produção da indústria nacional, que depende de algumas peças que são importadas.

AÇÃO INTERMINISTERIAL

Uma parceria entre o Ministério da Saúde e o Ministério da Economia realizou um mapeamento do parque industrial nacional, quando foram identificadas as capacidades de cada setor para o fornecimento de respiradores pulmonares. Nesse mapeamento, encontrou-se empresas que tinham escala pequena de produção, mas que tinham expertise e outras que poderiam contribuir para expandir as entregas em um menor espaço de tempo possível.

O projeto ainda envolve o Ministério das Relações Exteriores, para priorização de recebimento de peças, o Ministério da Justiça para escoltas e segurança da distribuição de equipamentos e insumos, e o Ministério da Defesa que fornece armazéns nas capitais para estoque de materiais e a logística de distribuição para o país, por meio da Força Aérea Brasileira (FAB), quando necessário.

No início da pandemia, o Brasil contava com 65.411 respiradores pulmonares, sendo que 46.663 estavam disponíveis no SUS. Além da aquisição de respiradores, o Ministério da Saúde habilitou 3.695 leitos de UTI para atendimento exclusivo a pacientes com COVID-19 e adquiriu 340 leitos de UTI volantes, que são de instalação rápida, para fortalecer a rede hospitalar. Cada um destes leitos conta com um respirador.

REFORÇO PARA O RIO DE JANEIRO

O Ministério da Saúde já comprou e enviou ao estado do Rio de Janeiro 15,6 milhões de itens, entre equipamentos e insumos, para o combate à pandemia da COVID-19. Destes, foram distribuídos, até o momento, 206 respiradores pulmonares e 827,3 mil testes para o diagnóstico da COVID-19, sendo 448,7 mil testes rápidos (sorológico) e 378,6 mil RT-PCR (biologia molecular), além de 16 milhões de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs): 40 mil unidades de álcool; 145 mil aventais; 12,1 milhões de pares de luvas; 268,6 máscaras N95; 2,2 milhões de máscaras cirúrgicas; 7,9 mil óculos de proteção; 15,4 mil pares de sapatilhas; 1,1 milhões de toucas hospitalares; e 22,9 mil protetores faciais.

O Governo do Brasil entregou ainda medicamentos que ajudam no tratamento da COVID-19, como 292,5 mil unidades de Oseltamivir e 224 mil unidades de Cloroquina.

Também já foram habilitados pelo Ministério da Saúde 82 leitos de UTI no estado, sendo 10 de UTI pediátrica. O pedido de habilitação para o custeio dos leitos COVID-19 é feito pelas secretarias estaduais ou municipais de saúde, que garantem a estrutura necessária para o funcionamento dos leitos. O Ministério da Saúde, por sua vez, garante o repasse de recursos destinados à manutenção dos serviços.

Por Silvia Pacheco, da Agência Saúde
Atendimento à imprensa
(61) 3315-2745/2351

Posts Relacionados

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia Mais