Home Internacional “Transmissão sexual do coronavírus requer um longo percurso científico”, afirma especialista

“Transmissão sexual do coronavírus requer um longo percurso científico”, afirma especialista

por Redação

Pesquisadores chineses detectaram sêmen num grupo pequeno de pacientes com a COVID-19 

Um estudo feito pelo Hospital Municipal de Shanqiu, na província de Henan, na região central da China, identificou a presença do coronavírus SARS-CoV-2 em sêmen de pacientes que tiveram a doença. Publicado na JAMA Network Open, a pesquisa avaliou 38 homens, entre 15 e 59, anos e mostrou que seis desses indivíduos apresentaram o novo coronavírus no sêmen, sendo quatro em estágio agudo da doença.

Apesar de os resultados obtidos no trabalho inédito sinalizarem uma possível transmissão sexual do vírus pelo esperma, a pequena amostragem e a falta de um tempo maior seguindo os indivíduos infectados sugerem cautela.

“Isso aponta que o COVID-19 está em qualquer lugar do corpo e as partículas sobrevivem e podem ser transmitidas. Caso haja essa comprovação, seria algo revolucionário, mas temos ainda um longo percurso científico”, diz o infectologista Ricardo Diaz, pesquisador da Universidade Federal de São Paulo.

Posts Relacionados

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia Mais