Home Informações do Governo Estados recebem reforço de profissionais no combate ao coronavírus

Estados recebem reforço de profissionais no combate ao coronavírus

por Ministério da Saúde

APOIO AOS ESTADOS

Atuação no projeto Força Tarefa será junto às secretarias estaduais de Saúde para integração das ações de vigilância e atenção primária no SUS

No mês de abril, 54 profissionais de saúde iniciaram suas atividades como apoiadores de ações integradas de vigilância em saúde e atenção primária à saúde nos 26 estados e no Distrito Federal. A atuação desses profissionais terá como foco ações de enfretamento a doenças como a sífilis, dengue, chikungunya e zika, além da ampliação das coberturas vacinais. Além disso, devido a atual situação de Emergência em Saúde Pública de Importância Internacional (ESPIN) relacionada ao coronavírus, o Ministério da Saúde também orienta que os apoiadores atuem, de forma excepcional, junto às secretarias estaduais de saúde nas estratégias de gestão e enfrentamento à COVID-19.

Os bolsistas fazem parte do Projeto de Integração da Vigilância em Saúde e Atenção Primária à Saúde, o Força Tarefa. O projeto é resultado de parceria do Ministério da Saúde com o Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS), do Hospital Universitário Onofre Lopes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O incentivo com esta iniciativa, incluindo o pagamento de bolsa para os 54 apoiadores pelo período de 12 meses, será de aproximadamente R$ 2,6 milhões.

O trabalho desses profissionais deve ser articulado de acordo com as necessidades locais, por um tempo que deverá ser avaliado pela coordenação do projeto. Os Estados e o Distrito Federal podem definir outros temas prioritários e discutir, junto ao apoiador, estratégias para fortalecer a integração vigilância em saúde e Atenção Primária à Saúde em outras temáticas, a depender dos principais problemas identificados no território.

Os novos apoiadores foram selecionados por meio de dois editais públicos. Participaram das seleções 2.085 candidatos de todo o país. Os profissionais selecionados têm experiência em cargos de gestão na Atenção Primária à Saúde ou na Vigilância em Saúde, com no mínimo cinco anos de experiência em uma dessas áreas e com pelo menos um curso de pós-graduação na área de saúde. Os 26 estados e o Distrito Federal têm dois representantes cada, sendo 27 com domínio na área de Vigilância em Saúde e 27 em Atenção Primária à Saúde. 

HISTÓRICO

O Projeto Força Tarefa faz parte das ações anunciadas, em 2019, pelo Governo Federal para a área da saúde. A estratégia foi discutida e pactuada de forma tripartite junto ao Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), garantindo a participação por meio de indicações formais de representantes das Secretarias Estaduais, do Conselho Nacional de Secretarias Municipais (Cosems) e das secretarias municipais de saúde em todo o processo de seleção dos candidatos que atuariam como apoiadores nos Estados.

O Projeto Força Tarefa surgiu como uma das ações da Agenda de 100 Dias do Governo Federal para a área da saúde, que tinha como meta original fortalecer a vigilância e ampliar as coberturas vacinais no Brasil. O projeto foi amplamente discutido e pactuado de forma tripartite junto ao Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) e ao Conselho Nacional de Secretarias municipais de Saúde (CONASEMS), garantindo a participação de representantes das Secretarias Estaduais, dos Conselhos das Secretarias Municipais de Saúde e das Superintendências Estaduais do Ministério da Saúde em todo o processo de seleção dos candidatos que atuariam como apoiadores nos Estados.

Por Natália Monteiro, com informações da SVS, da Agência Saúde

Atendimento à imprensa

(61) 3315-2207 / 2351 / 3713

Posts Relacionados

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia Mais