Home Como Prevenir Mito ou verdade? O combate as fake-news em meio a pandemia de coronavírus

Mito ou verdade? O combate as fake-news em meio a pandemia de coronavírus

por Redação
No momento em que países de todo o mundo se unem no combate da epidemia, o vírus das falsas notícias se espalha pelos meios digitais. Veja como se proteger!

A pandemia de coronavírus em todo o mundo tem mobilizado os principais veículos de imprensa na cobertura da doença em tempo real. Em contrapartida, são muitas as informações falsas disseminadas em redes sociais, ou aplicativos mensageiros, com o intuito de confundir a população ou gerar sentimentos de preocupação de maneira desnecessária.

Para exemplo, durante reportagem exibida pelo Fantástico (TV Globo) no último domingo (29), áudios divulgados em grupos abertos para a discussão da doença afirmavam que medidas de isolamento social, adotada e defendida pela maioria dos países, não eram eficientes. Citou-se o caso da Itália, afirmando que mesmo com a população se protegendo em suas casas, os números de novos casos e mortes estão aumentando a cada dia.

Os canais oficiais do Ministério da Saúde, como o site e as redes sociais, são atualizados com frequência para alertar a população sobre informações falsas que circulam na internet. O Por dentro do Coronavírus apresenta alguns dos principais assuntos abordados de maneira incorreta, e até mentirosa, em grupos de Whatsapp, sites e redes sociais, para que você esteja bem informado durante esse período. Confira:

  • Gargarejos com água morna, sal e vinagre podem impedir o contágio do coronavírus

MITO
A imagem com uma suposta explicação de que o coronavírus primeiro se instala na garganta, antes de atingir outras partes do corpo, e pode ser combatido com gargarejos de água morna, sal e vinagre, foi compartilhado em diversos grupos de Whatsapp nas últimas semanas. O Ministério da Saúde esclareceu que a informação é falsa, ressaltando que ainda não existe nenhum alimento, medicamento ou vacina que evite o contágio pelo novo vírus.

Os cuidados para a prevenção são ressaltados pelo órgão, e incluem a lavagem correta das mãos, cobrir a boca com o antebraço ao tossir, evitar aglomerações e exposições desnecessárias, e não compartilhar objetos pessoais com outras pessoas.

  • A doença atinge apenas pessoas mais velhas

MITO

Os idosos compõe o grupo de risco do coronavírus, mas são apenas eles quem podem ser infectados pela COVID-19. No último final de semana o Governo do Estado de São Paulo anunciou a morte de dois jovens em decorrência da doença, ressaltando que a condição não é restrita aos mais velhos.

A explicação para a incidência maior da doença nesse grupo, se dá pela idade dos pacientes e pelo sistema imunológico deficitário, o que traria mais complicações durante o enfrentamento da doença. Acrescenta-se a possibilidade de órgãos como o pulmão, que costuma ser o mais atingido pela doença, estarem mais frágeis, acentuando as complicações do coronavírus.

  • Notas de dinheiro podem facilitar o contágio de coronavírus

VERDADE

Não por serem dinheiro, mas pelo material que pode ser facilmente um meio de transmissão da doença. O contágio de coronavírus se dá pelo contato de uma pessoa com gotículas que se espalham quando alguém tosse ou espirra. Essas gotículas se acumulam em superfícies, como as cédulas de dinheiro, e caso haja o manuseio e aproximação das mãos no nariz, boca ou olhos, pode ocorrer o contágio da doença.

  • O coronavírus não é transmitido em locais com temperatura acima de 20 graus célsius

MITO

Uma das mais recentes fake-news diz respeito às regiões de transmissão de COVID-19. Pesquisadores do Instituto Técnico de Massachusetts realizaram uma pesquisa e descobriram que a incidência do vírus foi maior em locais com temperaturas entre 3 e 17 graus, mas não houve nenhuma conclusão sobre o que foi divulgado na internet de maneira incorreta.

Os pesquisadores, com muitas ressalvas, informaram que “os dados analisados estão mudando rapidamente e ainda há várias incógnitas, incluindo sobre como o vírus está evoluindo”. Quanto a predominância de temperaturas em países de temperaturas mais baixas, eles afirmaram que “se o vírus é realmente sensível a fatores ambientais, então isso pode ser usado para otimizar as estratégias de mitigação”.

  • Quem está infectado pelo vírus pode não apresentar os sintomas comuns da doença

VERDADE

Especialistas afirmam que a maior parte dos pacientes infectados não manifestará os principais sintomas da doença, apenas leves desconfortos como um resfriado. Entretanto, a hora de buscar o auxílio de um serviço de saúde é quando os sintomas mais graves aparecem, incluindo a febre, e a dificuldade em respirar.

As informações foram dadas pela infectologista Ana Helena Germoglio durante entrevista ao portal Metropoles.

A melhor recomendação para que se evite a disseminação de notícias falsas é buscar sempre por fontes seguras. Órgãos oficiais, como o Ministério da Saúde e a Organização Mundial de Saúde (OMS) têm trabalhado constantemente no combate contra as fakenews, disponibilizando seus canais para o compartilhamento de notícias verídicas ao público.

Acompanhe as redes sociais do Por dentro do Coronavírus e fique por dentro das últimas informações sobre a situação da pandemia no Brasil e no mundo, além dos informativos oficiais do governo sobre a doença.

Posts Relacionados

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia Mais