Home Informações do Governo Saúde destina R$ 144 milhões para construção de Centro Hospitalar na Fiocruz

Saúde destina R$ 144 milhões para construção de Centro Hospitalar na Fiocruz

por Ministério da Saúde

COVID-19

O Centro Hospitalar para a Pandemia de Covid-19 se somará aos esforços dos governos estadual e municipal do Rio de Janeiro para enfrentamento à doença

Pacientes infectados com a Covid-19 passam a contar com mais uma unidade de saúde especializada no atendimento de pacientes em estado grave. O Ministério da Saúde destinou R$ 140 milhões para a construção do Centro Hospitalar Fiocruz para a Pandemia da Covid-19 que será implantado no Rio de Janeiro (RJ). Neste novo espaço, também serão realizadas ações do ensaio clínico Solidariedade (Solidarity), da Organização Mundial da Saúde (OMS). A iniciativa, que receberá investimento de R$ 4 milhões do Ministério da Saúde, tem o objetivo de investigar a eficácia de quatro tratamentos para a Covid-19.

O espaço contará com 200 leitos exclusivos de tratamento intensivo e semi-intensivo para pacientes graves infectados pelo coronavírus. A presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Nísia Trindade, reforça que a instituição está comprometida em auxiliar o Sistema Único de Saúde (SUS). “A unidade hospitalar se somará aos esforços dos governos estadual e municipal para ampliação do acesso a leitos de UTI e ventilação mecânica, reduzindo a sobrecarga no sistema de saúde e, com isso, a letalidade da doença”, informou.


Leia também:

Brasil registra 3.417 casos confirmados de coronavírus e 92 mortes da doença


A construção do Centro Hospitalar Fiocruz será dividida em duas etapas, a primeira levará 40 dias e contará com 100 leitos, sendo 50 para tratamento intensivo e 50 para semi-intensivo. A expectativa é de que, ao final de dois meses, toda a obra, com o total dos 200 leitos, já esteja concluída.

Todos os leitos do Centro terão isolamento para infecções por aerossóis (partículas leves que ficam suspensas no ar) e serão operados em condição de assistência para pacientes em alta complexidade. A unidade hospitalar contará também com um sistema de apoio diagnóstico para todos os exames necessários, incluindo os de imagem, como tomografia computadorizada. O novo Centro Hospitalar funcionará como um centro de referência, não oferecendo atendimento à demanda espontânea do estado. O acesso se dará pelo sistema de regulação do Estado do Rio de Janeiro.

O Centro Hospitalar para a Pandemia de Covid-19 contará ainda com uma força de trabalho extra. A Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde (Fiotec) convocará profissionais para trabalhar na nova iniciativa. Nesta primeira fase serão cerca de 600 vagas para médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e fisioterapeutas. Em um segundo momento, serão convocados também nutricionistas, psicólogos, assistentes sociais e especialistas como cardiologistas e nefrologistas, e profissionais de apoio administrativo. As inscrições já estão abertas e os profissionais podem se inscrever para participarem do processo seletivo até o próximo dia 3 de abril.

Ensaio clínico ‘Solidarity’

A OMS lançou o ensaio clínico Solidariedade (Solidarity) que pretende investigar a eficácia de quatro tratamentos medicamentosos para a Covid-19 e será implementada em 12 estados brasileiros, com o apoio do Ministério da Saúde e sob a coordenação da Fiocruz. Apenas pacientes internados poderão participar do estudo e terão que assinar um termo de consentimento.

Inicialmente, será testada a eficácia de quatro medicamentos para o tratamento da Covid-19: a cloroquina, o Remdesivir, a combinação de liponavir e ritonavir, isolado ou combinado ao Interferon Beta 1a. Apesar de ter quatro linhas de tratamento definidas, uma das premissas do estudo é que ele seja adaptável, ou seja, caso surjam novas evidências, as linhas podem ser adequadas, com descontinuação de drogas que se mostrem ineficaz e incorporação de medicamentos que venham a se mostrar promissores.

Nesse tipo de estudo, uma comissão central tem acesso a todos os dados e faz análises durante todo o processo, evitando que os pacientes sejam expostos a drogas ineficazes ou com toxicidade elevada. O estudo será implementado em 18 hospitais de 12 unidades da Federação: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Bahia, Pernambuco, Fortaleza, Pará, Amazonas e Distrito Federal.

Saiba mais sobre coronavírus acessando nossa página especial

Por Jéssica Cerilo da Agência Saúde, com informações da Fiocruz
Atendimento à imprensa

(61) 3315-3580 / 2351

Posts Relacionados

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia Mais