Home Informações do Governo Ministério da Saúde lança Manual de Cuidados Paliativos

Ministério da Saúde lança Manual de Cuidados Paliativos

por Ministério da Saúde

ASSISTÊNCIA À SAÚDE

Objetivo é desenvolver programa de cuidados paliativos continuados para integrar a prática em toda a rede de atenção à saúde, envolvendo pacientes do SUS e familiares

O Ministério da Saúde lançou nesta quinta-feira (17) o Manual de Cuidados Paliativos, dedicado a pessoas com doenças crônicas, infecções por Covid-19 e outros problemas de saúde que geram dor e sofrimento, em estágio terminal ou não. O documento foi elaborado pela Pasta em parceria com o Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (CONASS), Hospital Sírio-Libanês e Hospital Albert Einstein e envolve os familiares dos pacientes. Inicialmente, as estratégias do manual serão aplicadas em Brasília e São Paulo, mas devem ser expandidas para todo o território nacional. Além dos temas gerais que cobrem vários tipos de diagnóstico, como câncer, por exemplo, em função da pandemia também foram elaborados materiais específicos para o contexto atual da infecção e do distanciamento social para auxiliar as equipes de profissionais a ofertarem um cuidado adequado aos pacientes acometidos pela doença.

Clique aqui para acessar o Manual de Cuidados Paliativos

“Sabemos que teremos muitos desafios ainda pela frente, mas este já é um bom início e as recompensas serão ainda maiores. Ainda não havia no Brasil uma iniciativa específica e integrada com orientações de cuidados paliativos. O objetivo é que nós sempre tenhamos algo a fazer para todos os pacientes. Ainda que não exista tratamento terapêutico específico ou cura, sempre há alguma forma de aliviar o sofrimento dos pacientes e seus familiares. São cuidados paliativos continuados e integrados em toda a rede de atenção à saúde. Essas iniciativas colaboram para a construção de um Sistema Único de Saúde cada vez mais humanizado”, explicou o Secretário de Atenção Especializada à Saúde do Ministério da Saúde, Luiz Otavio Franco Duarte.

As medidas e ações de cuidados paliativos passaram a ser uma meta do SUS em outubro de 2018, quando houve pactuação com estados e municípios. Esta é a primeira iniciativa e contará com apoio dos hospitais Sírio-Libanês, na atenção especializada e domiciliar, e do Albert Einstein na atenção primária. As equipes se reuniram nesta semana para fazer diagnóstico das unidades hospitalares selecionadas – Hospital Regional de Ceilândia em Brasília e Hospital de Sapopemba em São Paulo. O próximo passo é traçar planos de ação para implantar as estratégias na prática, com a capacitação das equipes via EAD e por meio de workshops presenciais. O projeto está sendo desenvolvido no âmbito do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS), desenvolvido pelo Ministério da Saúde para colaborar com o fortalecimento do sistema público de saúde e promover a melhoria das condições de assistência à população.

ESPECIFICIDADES DO MANUAL

Entre outras orientações e cuidados de manejo clínico dos pacientes, o manual traz o conceito de que cuidados paliativos devem ser oferecidos a todas as pessoas e familiares que estejam sofrendo ou correndo risco de morte em decorrência de algum problema de saúde. Trata de sintomas físicos, psicossociais, emocionais e espirituais. Para os pacientes que falecerem, também prevê continuidade do tratamento e apoio necessários aos familiares. “O projeto melhora a qualidade de vida do paciente, controla os sintomas, planeja ações e cuidados específicos, traz satisfação do paciente e cuidador, além de permitir menor utilização dos recursos de saúde”, concluiu Franco Duarte.

Atualmente, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 20 milhões de pessoas precisam de cuidados paliativos no mundo, sendo mais da metade na faixa etária de 60 anos para cima.

PROADI-SUS

Lançado oficialmente pelo Ministério da Saúde em 2009, o PROADI-SUS é uma ferramenta de política pública de saúde financiada com recursos de isenção fiscal concedida para hospitais filantrópicos com excelência reconhecida pelo Ministério da Saúde, como é o caso do Sírio-Libanês e do Albert Einstein. O programa permite a transferência, desenvolvimento e incorporação de novos conhecimentos e práticas em áreas estratégicas para o SUS por meio da execução de projetos de apoio e na prestação de serviços de saúde, enquadrados em áreas específicas.

Atualmente são cinco grandes áreas de atuação dos projetos: estudos de avaliação e incorporação de tecnologia; pesquisas de interesse público em saúde; assistenciais em parceria com o gestor local (governos estadual e municipal), por meio da prestação de serviços hospitalares e ambulatoriais ao SUS; capacitação de recursos humanos e desenvolvimento de técnicas e operação de gestão em serviços de saúde; da qual o projeto Cuidados Paliativos no SUS – Atenção Hospitalar, Ambulatorial Especializada e Atenção Domiciliar faz parte.

Gustavo Frasão
Ministério da Saúde Nucom/SAES
(61) 3315-2745/2351

Posts Relacionados

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia Mais