Home Informações do Governo A vida não pode esperar

A vida não pode esperar

por Ministério da Saúde

TRANSPLANTE

Doador de medula óssea, mantenha seu cadastro atualizado com os dados corretos. Assim será mais fácil encontrar quem pode salvar uma vida o mais rápido possível 

Neste sábado, dia 19, é celebrado o Dia Mundial do Doador de Medula Óssea (World Marrow Donor Day – WMDD) e o Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME) agradece aos doadores que, apesar do difícil momento da pandemia de Covid-19, num gesto de extrema solidariedade levaram esperança a pacientes no Brasil e no exterior. Outra ação que é lembrada nessa ocasião é a necessidade de atualização dos cadastros dos doadores já inscritos no banco brasileiro.

O número de participantes no REDOME, coordenado pelo Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), tem aumentado expressivamente nos últimos anos. Em 2000, existiam apenas 12 mil inscritos, hoje já são quase 5,2 milhões. Esse número fica atrás apenas dos Estados Unidos e da Alemanha.

Para fazer a inscrição, o doador precisa ter entre 18 e 55 anos de idade e o cadastro fica ativo no sistema até o doador completar 60 anos de idade. Portanto, é importante manter os dados corretos, principalmente endereço e telefone. Isto porque, no caso de existir um paciente compatível, será preciso encontrar o doador o mais rápido possível. 

Veja quem pode doar

“A busca de doadores compatíveis aos pacientes que precisam de um transplante não se restringe apenas aos inscritos da própria região – é feita uma busca em todo o território nacional, além de bancos internacionais, parceria do Brasil com a World Marrow Donor Association (WMDA), rede que reúne os registros de doadores em mais de 50 países”, esclarece Danielli Oliveira, coordenadora técnica do REDOME.

Ela explica que os registros de todo o mundo enfrentam esta questão sobre os dados desatualizados. “É muito importante a consciência de que o voluntário precisa atualizar seus dados sempre que há alguma mudança. É bastante simples. Os doadores voluntários de medula óssea já cadastrados no REDOME podem preencher o formulário que se encontra no site no Inca. Os dados serão enviados ao sistema para atualização”, frisa Danielli.

“Há cerca de 15 anos fiz meu registro como doador voluntário de medula óssea. Achei natural participar, pois sou doador de sangue. Ainda não me chamaram, mas mantenho meu cadastro em dia. Por causa da minha profissão, já mudei de cidade algumas vezes. Sempre procuro o hemocentro local e atualizo meus contatos, porque se precisar, quero estar à disposição para ser encontrado rapidamente”, conta o militar Paulo Gonçalves.

#thankyoudonor

Há cinco anos, no terceiro sábado de setembro é celebrado o Dia Mundial do Doador de Medula Óssea. O World Marrow Donor Day (WMDD) deste ano traz uma nova proposta para os registros de todo o mundo: uma comemoração virtual. Em 2020, a data será celebrada no dia 19 de setembro com vídeos de plataforma de mídia social. Com o tema “Este ano, nossos heróis usaram um novo disfarce”, o REDOME pretende divulgar as histórias dos doadores brasileiros durante a pandemia de Covid-19.

Para celebrar o WMDD, qualquer pessoa pode publicar uma foto em suas redes sociais pessoais, contando sua história como doador / receptor ou apenas apoiando esta causa. Basta publicar a foto e utilizar as hashtags na legenda: #thankyoudonor; #WMDD2020; #REDOMEWMDD.

O Brasil foi o primeiro país da América Latina a comemorar o WMDD em 2015 e já foi reconhecido pela originalidade das ações por dois anos.

Ministério da Saúde/Nucom SAES
(61) 3315-3580

Posts Relacionados

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia Mais